TRANSPOSIÇÃO ESCRITA - SÉRIE 2 - FORMAS DE TRANSPOR UMA MÚSICA


Como foi visto na primeira parte desta série, a importância de saber transpor uma música,
o músico quando não sabe transpor uma música, se sente frustado consigo mesmo.
Resolvi fazer está série de estudos, baseado em meus estudos sobre teoria musical, que vai ajudar muitos músicos a tirar suas frustrações.

Siga-nos no twitter- @musicalleizer

A TRANSPOSIÇÃO ESCRITA

Na primeira parte vimos que a transposição escrita, possui duas formas:
A primeira sem mudança de clave e a segundo com mudança de clave, vamos abordar as duas formas nessa edição.
Vamos analisar primeiro, a transposição escrita sem mudança de clave.
Mantemos a clave do trecho original, colocamos a armadura do tom transportado de acordo com os intervalos dado e fazermos o transporte de todas as notas, segundo os intervalos dado.
transposição sem mudança de clave

OBS: PERCEBA QUE TODA NOTAS QUE POSSUI ACIDENTES, TAMBÉM SERÃO ALTERADAS NO TOM TRANSPORTADO.

ANÁLISE

O trecho original está na clave de FÁ, então no tom transportado conservamos a mesma clave.
O tom original é fá maior e foi transportado para 2° menor inferior.
Transportamos as notas de acordo com os intervalos dados;
As notas que possuem acidentes também foram alteradas no tom transportado, assim fechando nossa análise.
Na transposição escrita com clave já é diferente, muda-se a clave e procura o uníssono da primeira nota na clave transportada, veja na figura abaixo:
transposição com mudança de clave.

Depois analisamos o trecho original que está na clave de FÁ, no tom transportado conservamos a mesma clave.
Percebemos que tom original é fá maior e foi transportado para 2° menor inferior.
Transportamos as notas de acordo com os intervalos dados;
As notas que possuem acidentes também foram alteradas no tom transportado.

Agradecemos pelo seu comentário...

▲ Topo